PlayStation Blast
Ei, você aí. Nosso fórum contém uma gama diversificada e grande de discussões que você poderia fazer parte! Além dos membros serem educados e atenciosos. Então por que não se cadastra aí? Venha discutir conosco e fazer amizades aqui, no Fórum PlayStation Blast!

Analise - Tekken 6

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Analise - Tekken 6

Mensagem por Convidado em Sex 27 Jan 2012, 12:00

Irei postando as analises dos jogos que. Apenas mudarei o título do game que for. Achei interessante usar a analise da uol, pois é a que sempre vejo, mas posso postar de outros sites.
No mais, se alguém quiiser postar uma analise, me avise por MP que eu mudo o título.

Começo com
Tekken 6


Depois de chegar aos arcades japoneses no início de 2007, "Tekken 6"
para PlayStation 3 teve seu desenvolvimento atrasado principalmente por
conta de dois fatores. Primeiro foi a atualização do game para
fliperama, batizada de "Bloodline Rebellion", que entre ajustes e outros
acertos, adicionou mais cenários e dois novos personagens ao elenco.

Segundo
foi o anúncio de quebra de exclusividade da franquia em consoles
PlayStation e a chegada do título ao Xbox 360, o que pediu mais tempo de
desenvolvimento uma vez que o game original foi construído na
plataforma System 357, de arquitetura similar ao atual videogame da
Sony.

Assim, depois de tanta demora, quase três anos desde o
lançamento de "Tekken 5: Dark Resurrection", a tradicional franquia de
luta 3D da Bandai Namco volta aos lares dos fãs para novos combates.
Apesar de contar com gráficos de alta definição, ainda é o bom e velho
"Tekken" de sempre, repleto de lutadores e uma mecânica atraente para
novatos e veteranos no gênero.

Andar e bater


O maior defeito de "Tekken 6" é justamente o mesmo dos anteriores. O game
tenta criar um clima de confronto épico para justificar um torneio de
artes marciais, mas leva a sério demais sua história sem pé nem cabeça.
Convenhamos que criar um enredo que consiga justificar a presença de
monstros, demônios, lutadores de kung-fu, policiais, robôs, samurais e
até um urso e um canguru boxeador é uma tarefa ingrata. O jeito é
engolir a seco e deixar os designers acreditarem que algo na história
faz algum sentido.

No entanto, o roteiro abre caminho para o modo
de campanha de "Tekken 6". Apesar de vendido como grande novidade do
título, funciona mais ou menos como uma evolução de minigames como
"Tekken Force", apresentado em "Tekken 3". Nele, os novatos Lars e Alisa
lideram um grupo de resistência com o intuito de peitar os avanços da
corporação Mishima Zaibatsu, liderada pelo veterano Jin Kazama. A
mecânica é a mesma de sempre, só que empregada em um estilo que lembra
os antigos jogos de andar e bater dos anos 80 e 90, como "Final Fight".
Não é nada profundo ou bem acabado, mas garante um respiro depois de
vários duelos travados.

Para todos os gostos

Fora a
campanha, "Tekken 6" conta com modos tradicionais como Arcade, Time
Trial e Survival, além do Ghost Battles, que pede que o jogador escolhas
os oponentes de acordo com seu nível de dificuldade, todos copiados de
personagens customizados por outros jogadores ou pelo computador. Isto é
possível pois o jogo premia os usuários, em praticamente todos os
modos, com dinheiro que pode ser usado para comprar roupas e acessórios
para os lutadores.


Em
todos, inclusive nos modos multiplayer online, a mecânica de "Tekken 6"
permanece basicamente intocada. É atraente para novatos que não se
preocupam em pressionar todos os botões sem muito cuidado, mas ao mesmo
tempo abriga profundidade suficiente para atrair jogadores experientes
uma vez que a riqueza de movimentos é sempre surpreendente.

Os
controles se focam em quatro botões principais de ataques, dois para os
braços e dois para as pernas. Há uma variedade absurda de golpes em
combinação com o direcional, que também leva em conta a posição do
lutador e sua postura. Combos, agarrões e outros elementos complementam o
sistema, que conta com o maior número de lutadores da história da
franquia. São 40 guerreiros, entre veteranos e estreantes, com destaque
para a estranha ciborgue Alisa e o rechonchudo ex-campeão Bob.

Nos
aspectos técnicos, "Tekken 6" mantém a linha tradicional da série. O
design de personagens se mantém o mesmo, com modelos mais detalhados,
ainda que alguns lutadores continuem funcionando como clones de outros.
As arenas também são sempre dramáticas, com muita coisa acontecendo; há
quebra de paredes, chão e outras interações com o ambiente - uma das
mais interessantes é em um cenário repleto de ovelhas, que podem ser
acertadas durante a luta. As coisas só perdem o brilho quando surge a
infame tela de loading, que parece pedir mais tempo do que deveria,
mesmo depois da instalação opcional no disco rígido do videogame.

CONSIDERAÇÕES


"Tekken 6" é um típico exemplar da série de luta 3D da
Namco. A mecânica permanece praticamente inalterada, o que é bom para
atrair novatos e alegrar os fãs de longa data. Há mais lutadores, opções
de customização, arenas repletas de efeitos e alguns modos
interessantes, ainda que a tal campanha principal seja rasa e sem muito
apelo. Tecnicamente o jogo agrada ao ficar no padrão esperado do
mercado, mas o loading entre os combates pode desanimar. Mesmo com
tropeços, ainda é um jogo de luta memorável e de vida longa, graças ao
eficiente modo online.


Video da analise

UOL

Nota no baixaki


Eu recomendo para quem curte jogos de luta.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Analise - Tekken 6

Mensagem por Rafa em Sex 27 Jan 2012, 12:11

Tekken sempre é bom, não tem um gameplay complexo, mas possui bons personagens e uma história diferente (e curto ela).

Uma coisa que a Namco sabe fazer bem são os endings dos personagens, sensacionais.

Rafa
Membro Nv.24
Membro Nv.24

Karma Karma : 5
Posts Posts : 267

Ver perfil do usuário http://www.twitter.com/basrafa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum